Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

O MEDO DA FELICIDADE... GIKOVATE VIA TWITTER

O medo do amor se justifica naquelas pessoas que não são portadoras de individualidade consolidada: acabam preferindo vínculos mais frouxos.
O medo é parte do nosso instinto de auto-preservação.Assim, quando nos sentimos ameaçados, fugimos. Podemos agir dessa forma diante do amor.
O medo da felicidade não é outro senão o medo de perder a felicidade! Quem não tem coragem para um eventual tombo prefere não se arriscar.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

A dignidade de saber sair de cena...

Ser digno, requer um profundo respeito por si próprio.

Você sabe quem você é. Você sabe o que você faz. Você entende aonde você pode chegar. Você tem ciência do que lhe é realmente importante. Você sabe que impacto gera nos outros. Você sabe que ser você mesmo é tudo.

Sim, respeito por si próprio se dá pelo profundo conhecimento de si mesmo.

Ao longo da história, cada um acumula o aprendizado do saber se conhecer.
É mesmo uma questão de tempo (para alguns mais, para outros menos).

O que é fundamental é que as experiências, as vivências e as oportunidades que você teve e tem são na verdade o reflexo de você mesmo ao logo do tempo. Seja qual for a marca que você deixa na historia, é porque você é quem você é.

Há grandes exemplos de dignidade, alguns mitos, outros ícones e outros até relativamente desconhecidos e claro que não menos importantes, mas talvez o maior impacto seja àqueles que estão próximos e que construíram a própria historia bem perto de você.

Não importa se você conhece muito ou pouco a pessoa, mas o que desta pessoa faz você refletir, se questionar, concordar, discordar e até mudar.

Reconhecer estes é também se perceber na história. A própria ou na de alguém.

No mundo dos negócios, nos deparamos com muitas pessoas que escrevem a história. E, que nos fazem viver nela. Porque de alguma forma, "mexem" com as nossas questões mais seguras, ou nos fazem discordar tão fortemente de seu posicionamento que geram a reflexão sobre como temos de ser mais claros quando nos posicionamos.

Sim, há àqueles que podem fazer isso, porque buscaram e conquistaram o seu espaço de forma tão contundente e tão legítima que mesmo nas circunstâncias mais adversas sabemos que estes merecem as respostas.

A dignidade é explicitada pelo reconhecimento de que se pode questionar, mesmo que não da melhor forma, mesmo que não na melhor hora.

Mesmo quando o caminho já esteja trilhado, mesmo quando se está no final ou mesmo quando está inacabado.

Você é digno por se permitir expor e por ter conquistado o direto de se expor.Mas talvez, a mais explícita das dignidades, seja saber sair de cena.
Sim, sair de cena batalhando até o último minuto por manter a sua história viva. Parece frase de livro de história, mas na verdade é atitude para poucos.

Quando a história de alguém termina, na verdade ela começa para outros.

Mas o que faz diferença mesmo, é você não se preocupar se a sua no final vai ficar para os outros. A diferença é ela ficar para você enquanto você ainda estiver por aqui.

Viva a sua história e seja sempre você mesmo. Esta é a dignidade do seu legado.

Sílvia Somenzi

(*) Esta coluna é dedicada a Gilnei Quintana Marques. Um homem que viveu a sua história.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Texto postado no "PAPO DE BATERA" do facebook

Vou postar aqui bateras brasileiros que fazem e fizeram a diferença... Tem gente muito boa aqui, gente que nem todos conhecem, todos no seu caminho, no seu tempo, cada um com sua história, sua realidade, suas alegrias e angústias... O que gostaria de falar para os que estào começando: É um caminho árduo, de muita dedicação e muitas alegrias também... Existirão dificuldades, será complicado entrar no mercado, mas tudo vai depender de você... Do que você toca, se as pessoas vão querer você do lado novamente, se você dá conta do trabalho... O que é importante??? Fazer sucesso??? O que é o sucesso??? Ser famoso, trabalhar com artistas de ponta, sair em revistas especializadas??? Sim, é também... mas pode nào ser... Conheço várias pessoas que fazem esse tipo de trabalho, mas são nitidamente infelizes, reclamam o tempo todo, se sentem vendendo a alma, não tem saco de viajar, não é fácil deixar a família pra ir pro Acre por exemplo e ainda correr o risco de tomar um calote, tocando sons que você jurou pra você mesmo que jamais tocaria na vida... Claro que com quanto mais tempo você tem, mais experiência você tem, mais pessoas você conhece, mais fácil de indentificar roubadas e evitá-las... Se você tá bem com você mesmo, seu sucesso pode ser tudo aquilo que você e só você sabe que fez pelo seu instrumento, o que ele significa pra você... Isso é teu, ninguém jamais vai te tirar isso... Técnica é muito importante sim, te abre um leque de opções, claro que não é tudo... Musicalidade também, importantíssimo, mas como a técnica, depende da sua história de vida, famíliar, o que você escutava, porque entrou nessa. E também não é tudo... "O TODO" é o que realmente importa, nào esquecendo do bom gosto, que se encaixa sim nesse lance que acabei de falar sobre o contexto geral do músico... Nesse mundo da música, aprendi uma coisa, nào existe revolução, existe sim Evolução. Revolução é pro Mané que acha que tem que ser mais rápido que seu próprio tempo e pega uma bela duma tendinite que o impede de tocar por um tempão... Gente ansiosa, competidora, insegura é ótima pra querer revolução... O músico é sua própria empresa, se quer ser profissional, é claro... E mesmo que não queira, isso serve pra vida, postura de vida, com certeza isso vai aparecer no seu som... Um empresa deve oferecer um produto de qualidade, deve ter uma postura profissional, é importante chegar na hora, no mundão, quem se atrasa sempre é visto como alguém que não se importa com o outro, alguém que não tem a menor consideração pelo outro.... Claro que nem sempre é possível chegar na hora, me refiro àqueles casos em que a pessoa é por sí só uma pessoa atrasada...Deve sim ser uma pessoa bacana, nào ser arrogante (sei que muitos se imaginam especiais, mas a real é que ninguém gosta de estar por perto de gente arrogante). Deve ter cuidado com o "TER TALENTO"... Dou muitas aulas pra alunos realmente muito talentosos, mas a maioria desses alunos se acomodam no suposto talento, que geralmente é voltado pra um ou dois ritmos, nem chamaria de talento, chamaria de "tem uma pequena facilidade", e o bichinho se acomoda nisso e não sai do lugar... Em muitos casos, a própria paralavra já diz: Tá lento meu fio!!!
Agora o mais importante de tudo, muito mais que técnica, rapidez, velocidade, musicalidade, talento, tá lento... Tocar no click. Nada pode ser pior que baterista que flutua, ou que deixa baixar a peteca, ou que acelera... E se nego nunca colocou um metrônomo na frente, ele nem imagina, nem faz idéia do quanto que flutua... Geralmente acaba tentando achar culpados pro erro que é dele... Se você nào consegue tocar no click, swingar no click, errar no click, enfim, se sentir a vontade dentro do metrônomo, colocar sua alma no click, em qualquer situação, desculpe, mas você não é nada... Vai fazer sonzinho por hobby a vida toda... Vai tocar em festinha familiar e todos vão aplaudir... Mas sejamos realistas, todo mundo sabe que é uma bosta... Pode fazer o lance mais rápido, musical e swingado do mundo... Se está fora do click, é lixo. Ficando a vontade com o metrônomo, te garanto, vai ser chamado pra um trabalho, e com certeza será chamado novamente, porque o malabarista fora do clic, nào interessa pra ninguém. Quem toca no click resolve rápido, evita custos de horas de estúdio, que todos sabemos que custa e bem, melhora a pegada,pulsação, porrada, dinâmica, e em situações que está sem, de tào acostumado, toca no click da mesma forma, enfim, acha que produtores legais vão chamar aquele que resolve rápido, ou o Mané que fica rodando lâmpada e tentando arrumar culpados externos pra deficiência que é dele??? Penso que todos sabemos a resposta...
Bom, conforme falei acima, aqui vai o primeiro dos bateras que mais tenho admirado ultimamente, Alexandre Aposan, da Banda Gospel OFICINA G3, esse toca muito, e reune tudo que considero importante num baterista...
Desculpem-me se falei demais, a intenção é tentar contribuir, sempre...
Abração a todos e um agradecimento especial ao meu amigo Duda Neves, ícone da bateria nacional, sabe tudo, um verdadeiro mestre, e é merecedor de todo o reconhecimento e idealizador desse canal tão precioso pra todos nós. Estou certo que se nào fosse essa pessoa e esse grande nome, esse canal nào seria tão bacana... Agradeço a todos pelos vídeos postados e pela dedicação e tempo voltado a sempre estarem por aqui, mostrando o que gostamos e abrindo novos horizontes pra todos nós...
Muita humildade e dignidade sempre!!! Não somos competidores, somos um time, somos parceiros, somos amigos!!! Somos bateristas!!!

http://www.youtube.com/watch?v=0sy_j393pz8

Marcello Cabello